sexta-feira, 22 de novembro de 2013

'CORREDOR CULTURAL ALAGOAS VIVA' ENCERRA ATIVIDADES DEPOIS DE PERCORRER OITO MUNICÍPIOS EM TRÊS MESES

ALAGOAS BOREAL – Redação

A partir das 14h, na praça Multieventos, na Pajuçara, rodas de coco e pastoril e a vibrante Nega da Costa de Quebrangulo se apresentam para o público


Fotos/ Jorge Barboza
Mural da 'Nega da Costa', no Jaraguá: '
Corredor Cultural Alagoas Viva'
traz o folguedo para o público
Depois de percorrer oito cidades-polos em três meses, contando com a participação de 42 municípios, o Corredor Cultural Alagoas Viva chega à última etapa. Nesta sexta-feira (22), o evento promovido pelo Instituto Boibumbarte ocorrerá em Maceió, das 14h às 21h na praça de Multieventos, na orla da Pajuçara.

Para a edição maceioense do projeto (patrocinado pelo Banco do Nordeste, BNDES e governo federal), 11 municípios (incluindo Maceió) trarão atrações, como roda de coco, quadrilha, pastoril e shows musicais, além de exposições de artes visuais e artesanato.

O pilarense Jorge Calheiros é um dos destaques do encerramento do “Alagoas Viva” na Pajuçara. Um dos mais importantes cordelistas do estado, aos 74 anos – dos quais quase 40 são dedicadas ao cordel e à literatura –, Calheiros ficou famoso por composições saudosas, como a cultuada “Conselhos de um Velho Pai”, outras cômicas, como “Mulher Feia”, que, segundo o autor, trata-se de uma “homenagem engraçada e irônica” à esposa, Amália Maria Calheiros, a Dona Nininha.


Tudo pronto para a festa da cultura alagoana, logo mais, na orla da Pajuçara


De Quebrangulo, vem a Nega da Costa, o magistral folguedo composto por homens vestidos de baianas. Mestre Derlandson Lima, que coordena o grupo, diz que as origens do brinquedo remetem ao Brasil Colônia. “Os senhores de engenho gostavam de pegar as moças e mulheres escravas e então os maridos e namorados delas inventaram essa dança. Eles se passavam por mulheres e dançavam para esses senhores brancos, mas sempre de costas para que eles não percebessem a troca”, explicou Lima.


A partir das 20h30, os músicos Basilio Sé, João Albrecht, Wilson Miranda, Mácleim e Elisa Lemos, todos de Maceió, apresentam-se no palco montado na praça Multieventos, encerrando as atividades do corredor cultural.

quinta-feira, 31 de outubro de 2013

DELMIRO GOUVEIA SEDIA A SÉTIMA ETAPA DO 'CORREDOR CULTURAL ALAGOAS VIVA'

ALAGOAS BOREAL – Redação

Folguedos, atrações musicais e show de humor integram a programação gratuita do projeto

Divulgando a cultura local e aproximando a população dos artistas da região, o “Corredor Cultural Alagoas Viva” desembarca nesta sexta-feira (1o) em Delmiro Gouveia. O projeto, que começou em São Miguel dos Campos em setembro e já passou por cidades como Arapiraca, Penedo e Viçosa, chega à sétima etapa – a última no interior do Estado –, preparando-se para o grande finale em Maceió, no final de novembro.

Wilson Miranda (com Susie Cysneiros e 'baiana' de Penedo),
faz show nesta sexta-feira (1o.)

Mais uma vez, como nos outros municípios-sede, diversos artistas e folguedos de Delmiro Gouveia (distante 96 km de Maceió) e de outros municípios da região farão apresentações gratuitas para a população, a partir das 14h. Em Delmiro, o projeto realizado pelo Instituto Boibumbarte, contemplado pelo Programa de Cultura do Banco do Nordeste e BNDES, ocorrerá no ginásio de esportes do Bairro Novo.

Integram o polo Delmiro Gouveia do “Corredor Cultural Alagoas Viva”, além do município anfitrião, os vizinhos Água Branca, Inhapi, Ouro Branco, Pariconha, Piranhas e Santana do Ipanema.


Xaxado, reisado, literatura de cordel, danças quilombolas e show de humor estão na programação. O cantor e compositor Wilson Miranda – que organiza o “corredor” juntamente com a produtora Susie Cysneiros – fará uma apresentação especial.

quinta-feira, 24 de outubro de 2013

VIÇOSA RECEBE O AGITO CULTURAL DO 'CORREDOR ALAGOAS VIVA'

ALAGOAS BOREAL – Tágore Cavalcante

São sete municípios que formam o polo Viçosa do projeto; programação inclui filme de Leon Hirszman e muitos folguedos

Percorrendo os municípios alagoanos e divulgando a cultura regional desde que estreou em São Miguel dos Campos, em setembro, o “Corredor Alagoas Viva” chega a Viçosa nesta sexta-feira (25).  A maratona de apresentações culturais dos sete municípios que compõe o polo de Viçosa começa às 9h, seguindo pela tarde e noite. O projeto, que percorrerá outros municípios até o mês de novembro, é uma realização do Instituto Boibumbarte, com patrocínio do Programa de Cultura do Banco do Nordeste e BNDES e do governo federal. As atividades ocorrerão na praça Apolinário Rebelo, na região central do município, distante 86 km da capital. A programação conta, ainda, com um passeio pela cidade, conhecida como berço de notáveis intelectuais, historiadores e políticos como o folclorista Théo Brandão (1907-1981), o historiador e ambientalista Octávio Brandão (1896-1980) e o político governador de Alagoas Teotonio Vilela (1917-1983).

Fotos/ Divulgação
Mestre Sebastião fará apresentação
no 'Corredor Cultural Alagoas Viva', nesta sexta-feira (25)

 Uma grata surpresa da programação é a exibição do filme “São Bernardo”, adaptação do romance de Graciliano Ramos, filmado em Viçosa, no ano de 1971, pelo cineasta Leon Hirszman (1937-1987). Foram programadas duas sessões, no Centro de Convenções da cidade, às 10h e às 18h.



O filme de Leon Hirszman 'São Bernardo'
será exibido às 10h e às 18h
Participam do polo Viçosa, além da cidade anfitriã, os municípios de Cajueiro, Capela, Chã Preta, Mar Vermelho, Quebrangulo e Pindoba. Diversas atrações de cultura popular de toda essa região serão apresentadas ao público a partir das 14h. Toda programação é gratuita.

Folguedos populares alagoanos, como o guerreiro e o coco-de-roda, serão apresentados por grupos de Cajueiro e Viçosa. Já o pastoril, cuja origem remete às festividades católicas, será apresentado pelo município de Chã Preta, que leva também para a praça o caboclo de pena.

Atenas

Chamada “Atenas alagoana”, por conta do folclore latente e da intelectualidade que caracterizam a cidade, Viçosa continua gerando nomes ilustres, como o ministro dos Esportes Aldo Rebelo e o poeta Sidney Wanderley, cujo livro mais recente, “Chuva e Não”, é de 2009.

Para a secretária da pasta de Cultura do município, Karina Padilha, a importância de eventos como o “Corredor Cultural Alagoas Viva” vão além das apresentações culturais locais.

Toda programação ocorrerá na praça Apolinário Rebelo
 "É uma oportunidade de interação, apreciação e troca de experiências dos grupos, que apesar de coexistirem na mesma região, apresentam características que os diferenciam.”


Karina ressalta que a região da Zona da Mata tem "um grande potencial", e que a união desses grupos é o primeiro passo para o desenvolvimento conjunto das cidades que têm interesse em explorar o mercado de turismo cultural. 

quinta-feira, 17 de outubro de 2013

CULTURA AFRO DE UNIÃO DOS PALMARES E FOLGUEDO DE SÃO JOSÉ DA LAGE SE APRESENTAM NO 'CORREDOR ALAGOAS VIVA'

ALAGOAS BOREAL – Tágore Cavalcante

A quinta etapa do projeto começa na tarde desta quinta-feira (17), no município de União dos Palmares; projeto é patrocinado pelo BNB e BNDES


 
Fotos/ Divulgação Folguedo Boi Dragão Lajense
remete à lenda do dragão aprisionado
 O “Corredor Cultural Alagoas Viva” desembarca nesta quinta-feira (17) na cidade de União dos Palmares – a 73 quilômetros de Maceió. Apresentações musicais e performances de artistas locais irão acontecer na Praça Basiliano Sarmento, a partir das 14h.

Além dos grupos de União – município marcado pela cultura quilombola, que remete à luta dos escravos negros em busca da liberdade –, representantes de de São José da Laje e Ibateguara apresentarão diversos trabalhos artísticos e culturais à população.



Grupo afro fará exaltação aos
orixás no 'Corredor Alagoas Viva'
Para Susie Cysneiros, idealizadora do evento, o “Corredor Cultural” não somente dá visibilidade aos trabalhos de artistas locais como também preserva a identidade cultural da região.

“A história de União dos Palmares está ligada ao quilombo erguido por Zumbi (1655-1695), ícone máximo do movimento de libertação dos escravos. Os grupos que irão se apresentar hoje na praça resgatam toda a simbologia de liberdade que o líder negro tanto lutou para consquistar”, afirma Susie, relacionando as atrações desta quinta-feira. “Temos o coco de roda, a capoeira e um grupo afro que fará exaltação aos orixás.”

Luana Tavares da Silva, uma das produtoras do projeto Palco Aberto em União dos Palmares, diz que o "Alagoas Viva" é  "um ponto de recomeço”.

"A cultura popular é muito forte e não podemos deixá-la desaparecer", ensina. Luana destaca a presença do Boi Dragão Lajense, que retrata uma lenda do município de São José da Laje. De acordo com a produtora, o dragão foi aprisionado sob o altar da Igreja de São José, libertado depois pela enchente de 1969. "O boi foi criado para lembrar às gerações atuais da história ancestral que brinca com o imaginário dos curiosos", explica.


quarta-feira, 9 de outubro de 2013

'DRAGÃO DAS ÁGUAS VERMELHAS' É PERFORMANCE DE LÚCIA PRATA PARA A PROGRAMAÇÃO DO 'CORREDOR ALAGOAS VIVA'

ALAGOAS BOREAL – Tágore Cavalcante

Esta e outras encenações envolvendo teatro, dança, música e poesia serão apresentadas nesta sexta-feira (10) no histórico município


Nesta sexta-feira (11), o “Corredor Cultural Alagoas Viva”, que percorre municípios alagoanos resgatando a cultura dessas localidades, chega à histórica cidade de Penedo, às margens do rio São Francisco. Polo de colonização das Alagoas, Penedo (distante 160 km de Maceió) será invadida por exposições de artes visuais, espetáculos de música e dança, além de performances cênicas.
Wilson Miranda/ Divulgação
Programa do projeto do Instituto Boibumbarte em Penedo

Quadros, santos e bonecos gigantes harmonizarão com a arquitetura histórica, transformando as ruas da cidade em um museu a céu aberto. Penedenses e turistas poderão embarcar no catamarã da Escola Náutica de Penedo, às 9h, para navegar as águas do São Francisco. Mas será preciso fazer as inscrições, que estão abertas. Os interessados, podem ligar no número (82) 8862 7303 e falar com Regina. À tarde, às 15h40, um cortejo batizado de “Dragão das Águas Vermelhas” fará uma celebração sacro-cultural, percorrendo o Velho Chico.

Segundo poetisa e agitadora cultural Lúcia Prata, que idealizou a performance, o “Dragão” é um instrumento “paradidático artístico-interativo voltado para as crianças” e apresentado em forma de oração. “É uma maneira de agradecer ao rio [São Francisco] tudo o que ele nos oferece”, declarou. O cortejo durará até as 16h20, com apoteose na Praça 21 de Abril, no centro histórico da cidade.

Também na programação penedense do “Corredor Cultural Alagoas Viva”, o canto coral do Grufra, formado por jovens cantores que apresentarão o concerto “Doctrin da Rainha”, às 16h30. Em seguida, às 17h, o Centro Juvenil Nossa Senhora Auxiliadora fará uma encenação de origem europeia, “Dança de Fita”, que remete a brincadeiras tradicionais do interior alagoano.

A partir das 17h30, a música tomará conta da praça com a banda de rap Soma Negra e o cantor Alexandre Figueiredo – os shows serão realizados em frente à Igreja da Corrente. Às 18h, mais uma performance de Lúcia Prata com a “Ciranda da Sabedoria das Águas”.

Para a produtora cultural Susie Cysneiros,  organizadora do evento, resgatar a cultura local e mostrá-la à própria região é o objetivo maior do projeto. “O foco são os jovens, pois são eles que manterão viva a memória cultural”, disse Susie.

Corredor Cultural Alagoas Viva
Em Penedo, nesta sexta-feira (11), a partir das 9h.
No centro histórico da cidade. Grátis.

Passeio de catamarã – Inscrever-se com Regina, no tel. (82) 8862 7303.

segunda-feira, 7 de outubro de 2013

‘CORREDOR ALAGOAS VIVA’ RECUPERA RIQUEZAS DO FOLCLORE, COMO A ALEGRE CHEGANÇA PARA TODAS AS IDADES DE GIRAU DO PONCIANO

ALAGOAS BOREAL – Jorge Barboza

Projeto do Instituto Boibumbarte acontece às sextas-feiras, em municípios do interior;
Banco do Nordeste e BNDES patrocinam o evento


Fotos/ Jorge Barboza
Meninos, rapazes e senhores compõem
o tradicional folguedo apresentado em Arapiraca
  
Chamada para participar da terceira etapa do projeto “Corredor Cultural Alagoas Viva” – que realizou, nesta sexta-feira (4), em Arapiraca, uma série de apresentações folclóricas e musicais, envolvendo grupos e artistas de diversos municípios da região do Agreste –, a Chegança de Girau do Ponciano provou que o folclore vive no coração e nos pés de homens com mais de 70 anos de idade e de meninos que seguem a trilha dos avós, pais e tios. O grupo formado por 26 dançarinos e cantores, devidamente paramentados, vestidos de almirante, padre, cristãos e mouros, deram um show de tradição folclórica, na tenda acústica da Praça da Prefeitura, no centro de Arapiraca (município distante 129 km de Maceió). 

O secretário José Miguel da Silva Lima, da pasta da Cultura do município vizinho de Girau do Ponciano – distante 140 km da capital –, diz que a brincadeira da chegança ali é centenária. “Esse grupo que veio dançar em Arapiraca foi formado em 1950, mas a primeira formação foi de 1905. A chegança em Girau do Ponciano tem muito mais de cem anos”, contabilizou Lima, que diz participar do folguedo desde criança. “Mas hoje estou atuando como secretário”, emenda o gestor, de 45 anos, que haja vista não perdeu o manejo da dança. Acompanhou todo o desfile dos simpáticos senhores de Girau, e da meninada também, segurando o microfone para os cantores e os dois tocadores de pandeiro, todo mundo no mesmo embalo da festa – que normalmente dura uma noite inteira, mas, claro, na programação do “Alagoas Viva”, tinha hora contada: foram apenas 30 minutos de uma coreografia contagiante de passos para lá e passos para cá e de um enredo cantado em versos ancestrais de um navio perdido que chega enfim ao continente.
Secretário de Cultura de Girau do Ponciano José Miguel Lima
conduz a chegança do município,
nesta sexta-feira (6), em Arapiraca

Coisa mágica e antiga, cheia de poesia. Manoel Firmino, 72 anos, pai de José Miguel, é um dos tarimbados dançarinos da Chegança de Girau do Ponciano. “É uma história da Marinha. Foi um barco que se perdeu e os marinheiros fizeram promessa para chegar a terra. Quando finalmente, voltaram ao continente, fizeram uma festa para louvar a Deus. E foi assim que a promessa foi paga e nasceu a chegança”, explica, dizendo que aprendeu a brincadeira com o pai dele, José Firmino, “que morreu com mais de 80 anos dançando chegança”.

Manoel Firmino, aposentado da vida de agricultor, continua dando os detalhes do folguedo: “Cada um de nós tem uma função. É o padre, o almirante, o capitão, o tenente, os cães da Turquia”. Espere aí – cães da Turquia? “Eram os mouros, que eram pagãos e invadiram o reino de Portugal. Mas eles foram expulsos e ficaram conhecidos como os cães da Turquia.” São dois “cães da Turquia” na dança. Pura política: “Os mouros são de um partido; os cristãos do outro”.
As histórias cantadas na chegança
 remontam às tragédias das conquistas marítimas

A chegança  – que remonta às conquistas marítimas portuguesas e que é uma versão nordestina das mouriscadas na Europa – ficou uns 20 anos sem acontecer em Girau do Ponciano. Mas graças a deus o folclore está na veia desse povo. Os mais velhos morreram, o pessoal foi se cansando – a ordem natural das coisas. Sem dinheiro, como continuar? Arrumar tecido e costureira para fazer os uniformes, ensinar as crianças. Muita água rolou debaixo dessa ponte e eles estão aí de novo, arrastando os pés desde o ano passado. “Começamos a brincadeira sem ganhar dinheiro – para o folclore não cair”, resume Heleno Tonheiro da Silva, 73 anos, outro parceiro.

Tem uma senhora para organizar as cantigas e convocar a rapaziada para os ensaios: Maria José da Silva, 70, a cantoria na ponta da língua. “Eu conheço isso desde menina, eu que organizo tudo.”

E é tudo muito bem organizado e bem ensaiado – ali nos passinhos, pra trás e pra frente. E a corrente segue cantando em duas fileiras, passinho pra trás passinho pra frente. Uma beleza. “Aqui na praça, vamos apresentar somente a ‘jornada’. Todas as partes são muito compridas”, informa Manoel Firmino, avisando que as músicas estão de acordo com o que aconteceu na História. “Elas falam do passado, como é que foi. Isso nunca muda nem pode mudar. É um caso que aconteceu.”
Dona Maria José ajuda a coordenar
os trabalhos da Chegança de Girau do Ponciano


Os meninos aguardavam alegremente a hora de começar a função. Guilherme da Silva, 13 anos, é neto de Firmino. “Entrei faz pouco tempo.” José Wesley dos Santos, 13 anos também, outro parceiro. “Ainda não sei fazer tudo.” Mas muita coisa eles já sabem – passinho pra frente passinho pra trás. “Os meninos são os gajeiros”, explica Jamil Cavalcante, que ficou afastado da chegança por uma década. “Eu fiquei doente. Não estava podendo frequentar. Mas agora está todo mundo na ativa de novo.”


É a última das cheganças – onde mais em Alagoas? Que cheguem as crianças, e esses notáveis senhores cheguem aos 80, aos cem. Vida longa à Chegança de Girau do Ponciano.

sexta-feira, 4 de outubro de 2013

'CORREDOR ALAGOAS VIVA' CHEGA A ARAPIRACA COM MARATONA CULTURAL

ALAGOAS BOREAL – Redação

Projeto patrocinado pelo Banco do Nordeste e BNDES chega ao Agreste, com maratona de shows e exposições durante esta tarde e noite de sexta-feira (4)

O “Corredor Cultural Alagoas Vive”, projeto do Instituto Boibumbarte segue nesta sexta-feira (4) com apresentações de música e folclore, e exposições de arte e artesanato, dos municípios de Arapiraca, Craíbas, Feira Grande, São Sebastião, Girau do Ponciano e Feira Grande. Trata-se da terceira etapa do projeto patrocinado pelo edital de cultura do Banco do Nordeste e BNDES, que a cada sexta-feira, até o mês de novembro, acontece em oito cidades-polos, envolvendo os 102 municípios alagoanos. Nesta sexta-feira, as atividades culturais acontecerão na praça Luiz Pereira Lima, conhecida como “Praça da Prefeitura”, no centro de Arapiraca. A programação é aberta ao público de todas as idades.

Fotos/ Divulgação
O maculelê do município de Taquarana é
uma das principais atrações do 'Alagoas Viva' em Arapiraca
 Diversas unidades escolares do município, entre as quais as Escolas César Fontes e Zélia Barbosa, levarão números de teatro e dança. Distante 128 km de Maceió, Arapiraca será representada, também, pela banda Blekaute e pela cantora de música popular Dayana Sanderay.


O município de Craíbas se fará representar pelo grupo de hip hip The Dangerous, formado por sete meninos, além do grupo coral infantil Letícia Farias. Artesanato, culinária e uma exposição de fotografias com registro da passagem do cangaceiro Lampião (1898-1938) são outras atrações de Craíbas.

Desfile com estudantes de Craíbas;
escolas têm participação maciça no projeto

Girau do Ponciano virá com números de capoeira, pastoril e chegança, enquanto o município de São Sebastião apresentará bandas de fanfarra, artesanato de rendas de bilro e um vídeo sobre a mestra rendeira Dona Clarice. O município de Taquarana tem programação extensa, com apresentação da Orquestra Santa Cruz e as bandas de pífano Bacurau do Pife e Banda de Pífano Santa Cruz. Os grupos de cultura afro (capoeira, maculelê) coordenados pelo instrutor Bico de Fulô são outras atrações aguardadas pelo público em Arapiraca. A Cia. Insanos de Teatro, formada por estudantes e professores universitários do município, apresentará o espetáculo de clown “O Fim do Mundo”. Na sequência, o cordelista, músico e poeta Jair Ferreira apresentará o show “Matuto Cidadão”.

Cultura na estrada

A maratona de espetáculos e exposições começou no polo de São Miguel dos Campos, no dia 13 de setembro, seguindo para um fim de semana duplo em Porto Calvo, com atividades nos dias 19 e 20 (quinta e sexta-feira). O projeto conta com o apoio maciço da rede pública de ensino, com participação de alunos e professores.

Além do BNB, BNDES e governo federal, que patrocinam o projeto, o “Corredor Cultural Alagoas Viva” recebe o apoio da Algás, da Uneal, do site Alagoas Boreal, do escritório Keka Rabelo Assessoria de Comunicação e das prefeituras de Arapiraca, Craíbas, Girau do Ponciano, São Sebastião, Taquarana e Feira Grande. A Secretaria de Estado da Mulher da Cidadania e dos Direitos Humanos de Alagoas, o Quilombo Lunga Taquarana e o grupo Corujas do Audio Visual também são solidários ao esforço do Instituto Boibumbarte, que é dirigido pela produtora Susie Cysneiro e o músico e produtor Wilson Miranda – eles são responsáveis, também, pelo consagrado projeto de música popular “Palco Aberto”.

A renda de bilro do município de São Sebastião



ROTEIRO
14h - Orquestra Santa Cruz - Taquarana; 14h30 - Escola Zélia Barbosa - Ginástica rítmica - Arapiraca; 14h45 - Pastoril - Aparecida - Girau do Ponciano; 15h15 - Literatura de Cordel - Flávio Soral - Girau do Ponciano; 15h30 - Escola Cesar Fontes (Teatro, Carimbó, Percussão e Coral - Arapiraca; 16h - Coral Letícia Farias - Craíbas; 16h30 - Bacurau do Pife e Banda de Pífano Santa Cruz - Taquarana; 17h - Teatro - A Luz das Ruas - Arte Terapia - Arapiraca; 17h20 - Capoeira e Maculelê - Arte Brasil - Quilombo Lunga - Taquarana; 17h40 - Hip Hop - The Dangerous - Craíbas; 18h10 - Capoeira CCL - Iranildo Macário - Girau do Ponciano; 18h30 - Chegança - José Elias e Maria José - Girau do Ponciano; 19h - Destaladeiras de Fumo - Arapiraca; 19h30 - Performance "Cultura Insana" - Cia Insanos de Teatro - Taquarana; 20h - Peça "O Fim do Mundo" - Cia Insanos de Teatro - Taquarana; 20h50 - Jair Ferreira - Matuto Cidadão - Taquarana; 21h20 - Afoxé Xango Layó - Pai Alex - Arapiraca; 21h:40 - Banda Blekaute + Dayana Sanderay - Arapiraca; 22h - Outras bandas – Arapiraca.


domingo, 22 de setembro de 2013

'CORREDOR CULTURAL ALAGOAS VIVA' TRAZ PERSPECTIVAS ARTÍSTICAS PARA A RICA PRODUÇÃO DA REGIÃO NORTE

ALAGOAS BOREAL – Maurício Silva

Projeto do Instituto Boibumbarte reuniu uma grande diversidade cultural com apresentações dos oito municípios que compõem o polo de Porto Calvo


Depois do banho de manifestações culturais no polo de Porto Calvo – município distante 98 km de Maceió –, nesta quinta e sexta-feira (19 e 20), o projeto “Corredor Cultural Alagoas Viva” segue para Arapiraca (a 126 km da capital) no próximo 4 de outubro, sexta-feira da semana que vem. Em Porto Calvo, reunindo também os municípios de Maragogi, Japaratinga, Matriz de Camaragibe, São Luís do Quitunde, Jacuípe, Jundiá e Campestre, o 'Alagoas Viva' trouxe os valores culturais de cada uma dessas cidades, que foram apresentados no Centro Comunitário Calabar. 
Fotos/ Maurício SilvaQuadrilha Mandacaru, de São Luiz do Quitunde,
causou sensação em Porto Calvo

Realizado pelo Instituto Boibumbarte, o evento encerrou a temporada portocalvense na sexta-feira, com música, dança e uma apresentação espetacular da quadrilha junina Mandacaru, do município de São Luís do Quitunde. Foi o maior acontecimento cultural da História, reunindo oito municípios da região Norte.

A quadrilha Mandacaru marcou o encerramento das atividades com chave de ouro, deixando o público impressionado. “Amei essa apresentação da Mandacaru. Alagoas possui muitos talentos e precisamos valorizá-los. Eles fazem um trabalho espetacular”, disse a estudante Vanessa Lima. Torcendo o nariz para as inovações da quadrilha estilizada, o vaqueiro Van da Silva fez uma crítica. “Foi muito bonito, mas o povo antigamente não usava essas roupas. Lampião tinha de estar vestido de couro”, explicou.

Diversidade cultural

Durante a tarde de sexta, o público prestigiou a apresentação da Orquestra Sete de Setembro e diversos números de dança folclórica, como cambinda e coco de roda trupé. O poeta de Porto Calvo Duda da Banda também declamou.


A tradicional dança das cambindas
de Porto Calvo surpreendeu o público

A performance dos matutos de Jacuípe, apresentando o coco de roda, foi um momento especial. “Essa dança precisa ter continuidade não somente em Jacuípe, mas em toda Alagoas. Fiquei arrepiada com essa apresentação. Alagoas possui valores culturais que precisamos conhecer melhor”, observou o estudante Rodrigo Silva.

A noite de sexta-feira começou com o poeta de São Luís do Quitunde, Carlinhos do Nordeste, seguido pela dança indígena da Escola Estadual Nossa Senhora da Apresentação e o grupo de break dance de Campestre. O cantor Sebage e banda deram uma palhinha com três rocks de Sebage e covers de “Hotel Califórnia” (Eagles) e “Não Quero Dinheiro”, do Tim Maia. A noite fechou com a quadrilha Mandacaru.

Orquestra Sete Setembro também
se apresentou no 'Corredor Cultural'
O “Corredor Cultural Alagoas Viva” estreou no dia 13 de setembro, uma sexta-feira, em São Miguel dos Campos, com patrocínio do Banco do Nordeste, BNDES e governo federal. O projeto também recebe apoio da Algás, da Uneal, do escritório Keka Rabelo Assessoria de Comunicação e do site Alagoas Boreal.


Seguindo-se a Arapiraca no dia 4 de outubro, a histórica Penedo recebe a caravana do “Corredor Cultural Alagoas Viva” no dia 11 do mês que vem. Depois é a vez de União dos Palmares (18), Viçosa (25) e Delmiro Gouveia (1o de novembro). A maratona final será em Maceió, nos dias 8 e 22 de novembro.

sexta-feira, 20 de setembro de 2013

PORTO CALVO RECEBE VASTA PROGRAMAÇÃO ARTÍSTICA E FOLCLÓRICA DO 'CORREDOR CULTURAL ALAGOAS VIVA'

ALAGOAS BOREAL – Maurício Silva

Nesta sexta-feira (20), continuam as apresentações de folguedos e bandas de fanfarra; o cantor Sebage fará um 'pocket-show' à noite

Os moradores da região Norte respiraram cultura nesta quinta-feira (19), com o projeto “Corredor Cultural Alagoas Viva”, que levou uma multidão ao Centro Comunitário Calabar para prestigiar as apresentações artísticas dos municípios que participam do polo Porto Calvo. O projeto, realizado pelo Instituto Boibumbarte segue nesta sexta-feira (20), com novas atrações do folclore regional, além de uma série de shows musicais.

Fotos/ Jorge Barboza
Quadro do portocalvense Nereu Wanderley, 

em exposição no 'Corredor Cultural Alagoas Viva'

O número de coco de roda apresentado nesta quinta, durante o período da tarde, deixou o público extasiado, que aplaudiu de pé a exibição dos jovens dançarinos portocalvenses.

“Foi lindo ver essa garotada dançado coco de roda, resgatando essa dança tradicional de Alagoas. Chega fiquei arrepiado”, afirmou o trabalhador autônomo João Araújo.

O concerto realizado pela Orquestra Filarmônica Bom Jesus, no início da noite, foi outro momento que empolgou a plateia – a orquestra de Matriz do Camaragibe, comandada pelo maestro José Rubens dos Santos, era uma das atrações mais aguardadas de projeto, e não fez feio: comoveu o público com partituras executadas à perfeição.

“Foi uma belíssima performance”, disse a jovem estudante Andréia Santos. “É muito bom saber que nossa Alagoas tem tantas riquezas culturais.”

O dançarino Robinho Jackson e cantor Paulo Vidéu, também de Japaratinga, encerraram as atrações musicais do “Corredor Cultural Alagoas Viva” nesta quinta-feira.

Artesanato

A artesã Zinha, de 65 anos, expôs belos biscuits no estande do município de Japaratinga. Objetos decorativos produzidos com sementes de girassol, conchinhas, patas de caranguejo, entre outros materiais, causaram sensação.

Zinha, que é cozinheira aposentada, diz se inspirou na natureza para confeccionar bolas feitas de conchas, corujas com penas que são as sementes de girassol, freirinhas feitas de cabaça e mais um sem número de bibelôs.

“A cidade de Japaratinga é o que me inspira. Eu cato essas conchinhas, mas, como tenho problema de coluna, peço para os meninos procurarem para mim. Eu pago a eles com dinheiro ou, senão, troco por uma dessas peças e eles ficam muito felizes”, diz a artesã, que mantém a loja Artesanato da Zinha – Concha e Cabaça no centro de Japaratinga.


Biscuits de Zinha, feitos com sementes de girassol 
e conchas, foram atração à parte
no estande de Japaratinga, em Porto Calvo
As peças custam entre R$ 10 e R$ 60. “Durante o Verão, eu vendo muito. Os turistas dizem que não encontram nada parecido em Maceió ou em Japaratinga. Eles ficam muito impressionados”, garante Zinha, que já fazia bichinhos decorativos em massa de bolo. “Comecei esse artesanato como brincadeira, depois que me aposentei. Eu já fazia esses bonecos para decorar os bolos, veja que as formas às vezes lembram uma coxinha... Hoje ganho um bom dinheirinho com isso e é uma ótima terapia.”


Mais folclore e muita música

Nesta sexta-feira, o evento segue com a maratona de atrações artísticas e folclóricas no Centro Comunitário Calabar, localizado no tradicional bairro do Varadouro. Haverá mais coco de roda e uma apresentação especial da Orquestra Sete de Setembro, de Porto Calvo. No encerramento, à noite o município de Maragogi apresentará o samba de matuto, seguido pelo show do cantor Carlinhos do Nordeste, de São Luiz do Quitunde. O cantor Sebage apresentará um pequeno repertório de músicas autorais, acompanhado pelos músicos portocalvenses Josuel, Felipe, Júnior e Daniel – parte deles integrante da banda de arroxadeira Turma do Quarto.


O “Corredor Cultural Alagoas Viva” estreou na sexta-feira (13), em São Miguel dos Campos. Além do patrocínio do Banco do Nordeste, BNDES e governo federal, o projeto recebe apoio da Algás, da Uneal, do escritório Keka Rabelo Assessoria de Comunicação e do site Alagoas Boreal.

quinta-feira, 19 de setembro de 2013

'CORREDOR ALAGOAS VIVA' CHEGA A PORTO CALVO COM ATRAÇÕES DOS MUNICÍPIOS DA REGIÃO NORTE

ALAGOAS BOREAL – Redação

Haverá shows de música popular, números de dança folclórica e exposições de artesanato no Centro Comunitário Calabar

A população da região Norte receberá, nesta quinta e sexta-feira (19 e 20), o projeto “Corredor Cultural Alagoas Viva”. O evento ocorrerá no Centro Comunitário Calabar, no ancestral bairro do Varadouro, em Porto Calvo. As apresentações começam às 14h, seguindo até a noite. Na sexta-feira, a programação continua, no mesmo horário e local. Uma coletânea de filmes sobre a história e os valores culturais de Alagoas também será exibida, no espaço cinematográfico batizado de "Cine Algás". Fazem parte do roteiro ainda as exposições que ficarão montadas nos estandes dos municípios de Alagoas Boreal, espalhadas pelo clube Calabar.
Cartaz impresso em Porto Calvo,
pela produção local do projeto; o evento é gratuito

Espera-se uma participação em massa de alunos e professores de toda região. Uma dança tipicamente portocalvense, a cambinda, será uma das principais atrações folclóricas. Além desta, haverá números de roda de coco, dança da peneira, orquestras, bandas de fanfarra e, de acordo com os produtores, “muita música de qualidade”.

Além de Porto Calvo, foram convocados os municípios de Maragogi, Japaratinga, Matriz de Camaragibe, São Luís do Quitunde, Jacuípe, Jundiá e Campestre. A abertura nesta quinta contará com uma apresentação do Hino de Alagoas com o coral de crianças da Escola Municipal Lamenha Filho. Ainda pela tarde, o público poderá curtir bandas de fanfarra, o coco de roda trupé e uma série de concertos de música brasileira. À noite, a festa cultural começa às 19h30, com a prestigiada Orquestra Filarmônica Bom Jesus, de Matriz de Camaragibe. Ainda haverá apresentações de quadrilha junina, xaxado, mamulengo e repente, além de uma performance do cantor Paulo Vidéu.

A sexta-feira foi reservada para o números de danças típicas, como o coco de roda, a cambinda e o pastoril. A capoeira de Jundiá se fará presente, seguida por declamação de poesia. À tarde, a tradicional Orquestra Sete de Setembro, de Porto Calvo, fará um medley de músicas regionais e carnavalescas.

À noite, encerrando a maratona do polo Porto Calvo deste “Corredor Cultural Alagoas Viva” (realização do Instituto Boibumbarte, com patrocínio do Banco do Nordeste e BNDES), serão apresentados o famoso e tradicional samba do matuto, de Maragogi, e números de coco de roda e quadrilha de São Luiz do Quitunde.  O cantor Carlinhos do Nordeste abrirá a sequência de apresentações musicais. O cantor Sebage, acompanhado por músicos da cidade, fará, como ele diz, “um mini-pocket-show”, apresentando cinco canções de rock escrita por ele e parceiros.  Korelly Mello cantará músicas brasileiras.

O “Corrredor Cultural Alagoas Viva” estreou na sexta-feira (13), em São Miguel dos Campos. Além do patrocínio do governo federal, o projeto recebe apoio da Algás, da Uneal, do escritório Keka Rabelo Assessoria de Comunicação e do site Alagoas Boreal.


Na próxima semana, o evento segue para Arapiraca. A histórica Penedo participa no dia 11 de outubro. Ainda haverá rodadas culturais em União dos Palmares (18 de outubro), Viçosa (25) e Delmiro Gouveia (1o de novembro). A maratona final será em Maceió, nos dias 8 e 22 de novembro.

domingo, 15 de setembro de 2013

PORTO CALVO ESTREIA NOVA PROGRAMAÇÃO DO 'CORREDOR CULTURAL ALAGOAS VIVA' NESTA QUINTA-FEIRA (19)

ALAGOAS BOREAL – Redação

Em dois dias, projeto reunirá artistas e grupos folclóricos de Porto Calvo, Japaratinga, Maragogi, Campestre, Jundiá, Jacuípe, Matriz e São Luiz

O projeto “Corredor Cultural Alagoas Viva”, que estreou na sexta-feira (13), em São Miguel dos Campos, segue esta semana, em Porto Calvo, com uma série de apresentações de música, folguedos e danças folclóricas. Especialmente em Porto Calvo – município a 98 km ao norte de Maceió –, foram programados dois dias de atividades culturais, numa roda que vai reunir brincantes das cambindas de Porto Calvo, os dançarinos de coco de Porto Calvo, Jacuípe, Campestre e São Luiz do Quitunde e outras atrações folclóricas como a peneira de Japaratinga e o samba de matuto de Maragogi. Também se apresentarão as fanfarras de Matriz de Camaragibe e Jundiá, além dos diversos cantores desses municípios.


Foto: Boibumbarte
Garotada brincando na abertura do 'Corredor Alagoas Viva', 
em São Miguel dos Campos | Divulgação

Realização do Instituto Boibumbarte, com patrocínio do Banco do Nordeste, BNDES e governo federal (e contando com apoio da empresa Algás, da Uneal, do site Alagoas Boreal e do escritório Keka Rabelo Assessoria de Comunicação), o evento, na estreia na sexta-feira, atraiu a estudantada de diversos municípios da região de São Miguel, que é uma das oito cidades-polo do projeto, assim como Porto Calvo.

“Os municípios de São Miguel dos Campos, Junqueiro, Teotônio Vilela, Campo Alegre e Barra de São Miguel participaram em peso com apresentações muito bem elaboradas e o público aplaudiu bastante”, disse a coordenadora do “Alagoas Viva” Susie Cysneiros. ”O público estava lá apesar da chuva. Muitos estudantes em caravana, cinco ônibus dos outros municípios... A banda de Fanfarra de Barra de São Miguel e o coco de roda de Junqueiro  fizeram apresentações maravilhosas.”

O município de Junqueiro causou a melhor impressão. “Eles nos surpreenderam com tantas apresentações e exposições, além de uma organização sem igual. E o que mais me emocionou: um onibus inteiro de estudantes e professores chegando juntos, todos com camisetas do nosso projeto, confeccionadas pelo próprio município. Uma homenagem linda”, desmanchou-se Susie, entusiasmada com o sucesso do evento e apostando na próxima etapa.

“Em Porto Calvo, serão dois dias de programação, com uma diversidade enorme de apresentações: vários folguedos, bandas de fanfarras, quadrilhas e muita música de compositores da região. Nós estamos esperando uma verdadeira mostra de gêneros e de integração da região.”

Produtor local do projeto, o repórter do Alagoas Boreal Maurício Silva espera que o Centro Comunitário Calabar – onde serão realizadas as apresentações – fique “lotado” nos dois dias de programação.


“A meta do projeto é a valorização da nossa cultura, e em Porto Calvo não será diferente. O ‘Corredor Alagoas Viva’ traz a tese de conhecer para valorizar e valorizar para defender a cultura. E é isso que vai acontecer”, afirmou o jornalista.

quinta-feira, 12 de setembro de 2013

COMEÇA NESTA SEXTA-FEIRA (13), EM SÃO MIGUEL DOS CAMPOS, O PROJETO 'CORREDOR CULTURAL ALAGOAS VIVA'

ALAGOAS BOREAL - Jorge Barboza

Organizado por produtores em todos os municípios do Estado, sob a coordenação do Instituto Boibumbarte, evento busca diversidade cultural


Começa nesta sexta-feira (13), no município de São Miguel dos Campos (a 50 km de Maceió), o projeto cultural “Corredor Alagoas Viva”, do Instituto Boibumbarte (que realiza o consagrado projeto musical “Palco Aberto”). Apresentações de grupos musicais e de dança, folclore, teatro e poesia, além de exposições de artes visuais e palestras, ocorrerão a partir das 14h20, seguindo durante toda a tarde, encerrando à noite, a partir das 20h, com um show da banda do município de Junqueiro Os Geniais.
Folclore está entre as manifestações de cultura
que serão apresentadas nesta sexta (13), em São Miguel dos Campos

O projeto que inicia nesta sexta-feira abrangerá todos os municípios alagoanos, divididos em oito regiões. São Miguel dos Campos é uma das cinco cidades-polos. O "Corredor Cultural Alagoas Viva" vai até o mês de novembro, apresentando diversas manifestações culturais sempre às sextas-feiras. A abertura em São Miguel dos Campos reúne não somente os artistas, artesãos e folcloristas daquele município, mas também o pessoal vizinho de Junqueiro, Teotônio Vilela, Campo Alegre e Barra de São Miguel.

“Vamos abrir com um cortejo da banda de fanfarra da Barra de São Miguel. Cada um desses municípios trarão estudantes da rede de ensino municipal e estadual para prestigiar o evento”, explica Susie Cysneiros, coordenadora-geral do projeto. “Virão alunos e professores e eu espero que isso sirva para marcar o início de um processo que leve a cultura às escolas, através de um aprendizado cotidiano, ensinando diversas modalidades artísticas em sala de aula.”

De acordo com o educador Fernandes Palmeira dos Santos, que também trabalha como ator e diretor teatral, o intercâmbio entre os municípios que compõem o polo de São Miguel dos Campos “tem sido muito proveitoso”, pois abrange uma grande diversidade cultural.

“Embora sejam municípios vizinhos, é interessante notar que cada um tem uma identidade cultural – cada tem um jeito de trabalhar a cultura. O projeto reconhece essa diversidade e é isso que faz com que este trabalho seja tão estimulante. Cada um contribui com uma produção cultural distinta, enriquecendo esse momento tão especial que estamos vivendo”, diz Palmeira, dando exemplos dessa diversidade.

“Faremos apresentações de hip-hop, teatro e de uma dança folclórica típica de São Miguel dos Campos, que é a taieira. Essa tradição do folclore surgiu entre nós graças ao empenho da matriarca Naída Albertina, que se estivesse viva estaria completando 100 anos. Então, temos o hip-hop, que é muito difundido entre a juventude em toda nossa região, mas buscamos também a cultura de raiz. De um lado, a tradição; do outro a contemporaneidade.”

CORREDOR CULTURAL ALAGOAS VIVA – Nesta sexta-feira (13), a partir das 14h20. Realização do Instituto Boibumbarte. Grátis.
Apresentações nas ruas centrais e no Cine Algas, em São Miguel dos Campos.


segunda-feira, 2 de setembro de 2013

VAI COMEÇAR O CORREDOR ALAGOAS VIVA!!!

Contemplado pelo Programa de Cultura Banco do Nordeste/BNDES - Edição 2012, o PROJETO PALCO ABERTO - CONSCIENTIZANDO PARA CULTURA realiza a partir de 13 de setembro as mostras regionais em 8 polos do estado de Alagoas.

Intitulada, CORREDOR CULTURAL ALAGOAS VIVA, a ação do projeto expõe as expressões artísticas de cada região para que a população, em especial os jovens, possam conhecer, entender e valorizar sua história e a sua cultura.

Vale a pena conferir as datas e PARTICIPAR!!!


quarta-feira, 31 de julho de 2013

'CORREDOR ALAGOAS VIVA' TRAÇA O MAPA CULTURAL DOS 102 MUNICÍPIOS ALAGOANOS

ALAGOAS BOREAL - Jorge Barboza

Projeto, que tem patrocínio do 'Programa BNB de Cultura', reunirá atividades culturais como folguedos, artesanato, música e gastronomia.

Fotos/ Tayana Moura (Divulgação)
Jornalistas participaram do café da manhã,
nesta terça-feira (30), no Teatro Linda Mascare
O Instituto Boibumbarte de Cultura fez o lançamento, nesta terça-feira (30), em Maceió, do evento “Corredor Alagoas Viva”, que será realizado em todo o Estado nos meses de setembro, outubro e novembro deste ano. A ação integra as atividades do projeto “Conscientizando para Cultura”, que está na terceira edição (outras duas edições foram realizadas em 2010 e 2012). Os produtores Susie Cysneiros e Wilson Miranda apresentaram a iniciativa à imprensa, num café da manhã que ocorreu no Teatro Linda Mascarenhas, no bairro do Farol.

Segundo os produtores, as edições anteriores do “Conscientizando para Cultura” investiu na profissionalização e formação de 350 novos agentes culturais nos 102 municípios alagoanos, capacitando 780 professores das instituições de ensino médio e superior.  Em junho deste ano, o projeto – que tem patrocínio do Banco do Nordeste (BNB) e Banco Nacional do Desenvolvimento, através do 'Programa BNB de Cultura' – realizou, em diversos municípios-polos, o curso “Intensivo de Produção para Formação do Núcleo de Produtores”.
Produtora Susie Cysneiros apresentou
o projeto 'Conscientizando para Cultura'


“A intenção é promover a prática profissional, gerar renda e cadeia produtiva, possibilitar o intercâmbio entre equipes de cidades diferentes e criar uma ‘teia’ de produtores aptos para o desenvolvimento de futuras demandas artísticas em Alagoas”, disse a produtora Susie Cysneiros, responsável, junto com o músico e produtor Wilson Miranda pelo consagrado projeto “Palco Aberto”.

“Queremos contribuir para a transformação das pessoas”, afirmou Susie, enquanto apresentava em um telão os resultados desse trabalho cultural que ela e Miranda vêm realizando desde 2004 com o “Palco Aberto”.

Cultura viva

O “Corredor Alagoas Viva” realizará uma mostra de cultura alagoana dividida em oito polos organizados pelo Núcleo de Produtores. “A ação vai expor para a população, sobretudo aos jovens, uma Alagoas que permanece viva e pulsante, através de suas manifestações artísticas, com destaque para folguedos, artesanato, gastronomia, teatro, dança, literatura, música e artes visuais”, relacionou Wilson Miranda.

O cantor Júnior Almeida, diretor do teatro,
também se fez presente à apresentação
  “As pessoas não podem dar valor a nossa música sem conhecê-la. Daí esse nosso projeto de conscientizar para a cultura. Andamos Alagoas de ponta a ponta. Observamos que a população não conhece os artistas alagoanos, menos ainda a história do nosso Estado”, afirmou Susie, avisando que, no ano que vem, o projeto “Palco Aberto” completará dez anos. “Ainda não definimos as ações que realizaremos, provavelmente lançaremos um novo CD/DVD.”


Susie diz que a ação do “Conscientizando para Cultura” está focada especialmente nos jovens. “Os mais velhos já estão, como se diz, com a cabeça feita. Então a gente está apostando nos jovens, atuando diretamente com professores e produtores. A juventude, os estudantes precisam vivenciar a cultura e é preciso que se formem produtores.”


domingo, 14 de julho de 2013

VEM AÍ O PROJETO 'CORREDOR ALAGOAS VIVA’

ALAGOAS BOREAL - Mauricio Silva

 Foram determinadas dez cidades-polos para receber o evento; em Porto Calvo, as apresentações artísticas ocorrerão no Clube Calabar


Fotos/ Maurício Silva
Quadrilha junina de Porto Calvo será atração 
do 'Corredor Alagoas Viva', em setembro
Artistas e amantes da cultura podem ir se preparando. De setembro a novembro deste ano, o Instituto Boibumbarte realizará, através do consagrado projeto “Palco Aberto”, uma nova e importante ação cultural, que acontecerá em todo o Estado e que foi batizada de “Corredor Alagoas Viva”. O evento ocorrerá em dez cidades-polos, envolvendo os 102 municípios de Alagoas. Artistas, produtores culturais e secretários de cultura de municípios da região Norte se reuniram na última quarta-feira (10), no auditório da prefeitura municipal de Porto Calvo, para discutir o assunto.

De acordo com a coordenadora do projeto, a produtora Susie Cysneiro, o “Corredor Alagoas Viva” apresentará “a maior mostra cultural da história do Estado”.

A produtora do Boibumbarte Susie Cysneiros
está à frente do 'Corredor Alagoas Viva'
“O objetivo do ‘Palco Aberto’ é fazer uma grande explosão cultural. Alagoas vai pulsar cultura”, disse Susie após a reunião. O projeto contará com dez mostras regionais, apresentando trabalhos de artistas e artesãos das áreas de música, teatro, dança, circo, literatura, artes visuais, gastronomia, folguedos e artesanato.

Diretora-executiva de planejamento do Instituto Boibumbarte, Susie Cysneiros explicou que o objetivo deste corredor cultural é “mostrar que Alagoas está viva”. “Temos uma grande diversidade cultural. Vamos demonstrar a produção de cada região.”
  
As dez mostras regionais ocorrerão a partir de setembro. Estão previstas três cidades para dar o pontapé inicial, nos dias 6, 7 e 8, mas estas ainda não foram definidas. Os municípios já escalados são apenas dois: São Miguel dos Campos, nos dias 13, 14 e 15, e Porto Calvo, nos dias 20 e 21. A programação, porém, vai longe. Diversas outras cidades estão no roteiro: Delmiro Gouveia, Penedo, União dos Palmares, Viçosa, Santana do Ipanema, Palmeira dos Índios, Arapiraca e Maceió, onde acontecerá o encerramento do projeto, no final de novembro.

A vice-prefeita de Porto Calvo, Maria José Melo, popularmente conhecida como Mariinha, disse que é um “orgulho” para o município ser uma das sedes do evento. “É um privilégio para nós alagoanos, especialmente para os portocalvenses, poder usufruir de um evento desse porte. É um privilégio para todos os alagoanos.”

O secretário de Cultura de Maragogi, Jadson da Silva Almeida, parabenizou o Instituto Boibumbarte pela iniciativa do projeto “Palco Aberto”.

“É importante para os alagoanos mostrarem a diversidade cultural do nosso Estado. Nossas manifestações culturais são muito ricas”, afirmou.

Susie Cysneiro destacou a participação da juventude e dos estudantes das redes municipal e estadual de ensino no “Corredor Alagoas Viva”.

Atrações da região Norte

As exposições e apresentações da região Norte se desenrolarão em Porto Calvo, no Clube Municipal Domingos Fernandes Calabar. Entre as atrações, destacam-se o samba de matuto de Maragogi; uma exposição de quadros óleo sobre tela do portocalvense radicado em Japaratinga Nereu Wanderley; um concerto da Orquestra Bom Jesus, de Matriz de Camaragibe; um pocket-show do músico portocalvense Sebage e um recital do poeta Duda da Banda, além de diversas mostras do artesanato local.

terça-feira, 15 de janeiro de 2013

Projeto Palco Aberto - Conscientizando para Cultura foi contemplado no PROGRAMA DE CULTURA BANCO DO NORDESTE / BNDES - EDIÇÃO 2012.

Estamos comemorando mais uma conquista: O Projeto Palco Aberto - Conscientizando para Cultura foi contemplado no PROGRAMA DE CULTURA BANCO DO NORDESTE / BNDES - EDIÇÃO 2012.
E muito felizes por dar continuidade as ações do projeto que atua nos 102 municípios de Alagoas levando informações para população, criando ferramentas para a educação sobre a cultura alagoana, capacitando agentes culturais com um novo olhar para as nossas manifestações artisticas... Enfim, trabalhando por uma Alagoas mais forte.